terça-feira, 5 de março de 2013

MORMONS DELETAM EX-MÓRMON DO FACEBOOK!


Aos meus amigos da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (Mórmons)
Acredito que muitos sabem e aqueles que ainda não sabem vão tomar conhecimento, agora que faz mais de 02 anos que não sou mais membro da igreja.
Antes que possam pensar que fui excomungado e que é por isso que não frequento mais, ou que deixei de frequentar porque queria pecar, ou ainda, que saí porque tive problemas com membros (o que também aconteceu), quero esclarecer que deixei de ir porque não acredito mais.
Todos sabem que durante os 23 anos que frequentei, procurei ser dedicado em todos os cargos que tive, entre eles, presidente de rapazes de Ala e Estaca, mestre familiar, representante da revista “A Liahona”, presidente do quórum de élderes, presidente da escola dominical, líder dos sumos sacerdotes, professor de seminário, professor de instituto, professor da escola dominical, conselheiro em bispado, bispo, membro do sumo conselho, presidência de Estaca, e outros que não me recordo agora.
Se me dedicava aos cargos, era porque acreditava na veracidade da igreja e queria fortalecer os membros, bem como influenciar os não membros a conhecerem a igreja, e também entrar para “o caminho reto e apertado que conduz a vida eterna”.
Acredito, que os que conviveram comigo, não poderão negar essa minha dedicação, como também não poderão dizer, que não era amigo de todos e disposto a ajudar e que tentava ser exemplo.
Pois bem, o que levou minha família a se afastar foi que, por eu e a Nilde sermos professores da Escola Dominical e querendo melhor instruir nossos alunos, começamos a estudar mais do que era recomendado e percebemos que muitas aulas eram direcionadas e que havia escrituras que nunca faziam parte das designações.
Lendo essas partes não designadas para as aulas, fomos enxergando coisas que nunca havíamos percebido, as quais inclusive, haviam nos sido ensinadas de forma diferente do que estão nas escrituras. A título de ilustração, posso citar a seção que trata sobre a palavra de sabedoria e a que trata sobre a poligamia (poderia citar outras).
Essa descoberta nos mostrou que as críticas que ouvíamos ou líamos sobre a igreja, e que nos doía tanto, podiam ter fundamento. Começamos então a pesquisar as críticas que tivessem referencias em livros históricos. Descobrimos que a maioria das referências eram de livros e registros da própria igreja, tal como discursos de profetas (tudo que sai da boca do profeta é escritura!) e diários de líderes. Foi aí que começamos a ver sobre racismo, sobre destinação de dízimos (que tínhamos como sagrado) e lei de consagração, e sobre ajuda humanitária, sobre maçonaria e ordenanças no templo, e sobre tantos outros assuntos.
Não vou citar aqui as atrocidades e barbaridades que descobrimos, porque esse meu desabafo não tem o objetivo de influenciar ninguém, entretanto, aqueles que desejarem saber mais estarei à disposição com a mesma dedicação que tinha quando era professor da escola dominical.
Mesmo não sendo mais membro de sua igreja, mantenho amizade com muitos membros ativos e normalmente não tratamos do assunto religião. Tenho boas amizades dentro da igreja, tanto que muitos membros frequentam minha empresa e minha casa. Com muitos, tive a oportunidade de sair para passear. Converso por telefone e troco mensagem pelo Facebook com outros, faço negócio comerciais com alguns e tantos outros que encontro pelas ruas ou em eventos. Muitos desses, pela proximidade e cumplicidade da vida, são pessoas que estimo muito e pelas quais sempre tive grande carinho. Afinal, os anos de dedicação eram também porque gostava e gosto das pessoas.
Aliás, religião nunca foi motivo para não ter relacionamento comigo, tanto que sempre mantive amizade com pessoas de todas as crenças e religiões, mesmo quando era membro ativo. E tem mais, só trato do assunto religião com os membros que desejam trocar ideias sobre esse assunto.
É importante ressaltar que mesmo não acreditando na crença dos mórmons respeito a opinião e a crença que possuem. Da mesma forma peço que respeitem a minha não crença na igreja e o direito de me expressar.
Aqui chego ao objetivo real dessa carta de desabafo. Tomei conhecimento que faz tempo que líderes têm visitado as Alas, orientando os membros a se afastarem de ex-Mórmons, inclusive neste último domingo, todas as Alas foram visitadas. Que deveriam se afastar deles, porque esses ex-Mórmons não são exemplo a ser seguido e que eles poderiam ser influência negativa para os membros féis.
Alguns membros que considerava amigos já me deletaram de sua lista de amigos no Facebook e chegaram a prestar testemunho em púlpito falando do assunto. Outros chegaram a citar meu nome nas orientações a membros para que me evitem, bem como a minha família.
Então quero avisar que aqueles que acreditam que o Braga e sua família não são mais as mesmas pessoas porque não têm a mesma crença e que por isso devem deixar de ser nossos amigos, bem como deletar-nos de sua lista de amigos do Facebook, sintam-se à vontade. Não quero ser o motivo de que se sintam em pecado por não seguirem a orientação de seus líderes. Por outro lado ficarei feliz com a maturidade e discernimento demonstrados por aqueles que continuarem a amizade.
Se algum quiser comentar aqui no post ou em mensagem privada, pode ter certeza que responderei a todas as perguntas.
Independente se vai me delatar ou não, aqui vai meu forte abraço!
Braga Carlos
Londrina, Paraná, Brasil

Um comentário:

  1. Edu fui excomungado da igreja. Mas não atribuo isso a membros ou líderes. O erro foi meu. Quem quebrou as regras fui eu. Fui missionário, Bispo, presidente dos rapazes, Lmo dentre muitos outros chamados, mas não tenho dúvidas da veracidade dos ensinamentos da igreja. Sao prefeitos, interligados e reais. Os princípios lá ensinados possuem cunho eterno. Mudou minha vida e fui muito feliz enquanto estive lá. Todo mundo tem defeito e erra. Tenho muito respeito e convicção de tudo que vivi e aprendi. Estudei muito a igreja e posso prestar meu testemunho que é verdadeira, sei que Jesus Cristo vive e mesmo estando longe nunca me desamparou. Meus líderes sempre buscaram me ajudar. Sei adeus todas as doutrinas são verdadeiras. Que presidente Monson é um profeta de Deus. Eu voltarei um dia, sei que votarei. Sinto falta. Minha vida não está completa.

    ResponderExcluir